Blog

erros-comunicacao-interna
Comunicação Interna 18.09.2020

Oito Erros que devem ser evitados em Comunicação Interna

Se, em algum momento, a importância da Comunicação Interna foi questionada, com a chegada da pandemia ela mostrou o seu poder de manter os colaboradores alinhados e engajados aos desafios de negócios e pilares organizacionais.

Hoje, sem dúvida, é uma forte aliada das empresas que visam a promover melhorias no ambiente corporativo, aumentar a produtividade, integrar setores, solucionar conflitos de interesse, preservar sua imagem e reputação, além de alcançar seus objetivos estratégicos, tanto do ponto de vista interno, quanto externo (se é que ainda é possível classificarmos dessa forma).

Mas quando a Comunicação Interna é mal gerida, a empresa corre sérios riscos de ter prejuízos. Uma pesquisa realizada em 2018 pela revista britânica The Economist, com 403 executivos dos Estados Unidos, atestou que as falhas na Comunicação Interna causam problemas para a produtividade e para a saúde de colaboradores. Segundo o estudo:

 

  • 44% dos entrevistados relataram que a falta de comunicação causou atrasos ou falhas na conclusão de projetos;
  • 18% afirmaram que os erros levaram à redução das vendas;
  • problemas de comunicação também contribuíram para o aparecimento do stress (52%) e do desânimo (31%).

 

Oito Erros que devem ser evitados em Comunicação Interna

 

Isso mostra que é preciso ter muito cuidado para evitar falhas que podem ocorrer na Comunicação Interna. E, para entender o que isso significa, na prática, confira abaixo os oito erros mais comuns e fique atento para não cometê-los.

 

1- Falta de Feedback

Quando a liderança só se lembra de dar feedback em momentos em que algo dá errado, o funcionário pode se sentir desmotivado. E as consequências são a falta de interesse e a baixa produtividade. A comunicação entre líder e liderado, estabelecida de forma honesta, tranquila e respeitosa, faz com que o colaborador se sinta valorizado e feliz com o retorno sobre os pontos positivos do seu trabalho.

Ele também estará aberto para entender como pode se desenvolver e evoluir na construção da carreira. E já que o diálogo é uma via de mão dupla, o profissional também poderá dar retorno sobre a condução da liderança, evitando, assim, ruídos desnecessários e estimulando o aperfeiçoamento de todos.

 

2- Tomadas de Decisão sem envolvimento dos Colaboradores

Mudanças que ocorrerem nas equipes devem ser feitas de forma democrática, sobretudo quando afetam os colaboradores diretamente. A decisões top-down podem até ser acatadas pelos funcionários, mas tudo que é impositivo pode soar apenas como mais uma obrigação. E quando isso acontece, o sentimento de identificação com a causa (o chamado senso de pertencimento) é muito menor e isso certamente diminuirá o engajamento dos membros do time.

 

3- Falta de Coesão entre “o que se diz” e “o que se faz”

A missão, visão e valores da empresa estão só no papel ou, de fato, fazem parte do dia a dia dos colaboradores? Eles vivenciam isso ou sentem que a companhia é adepta da frase: “faça o que que falo, mas não faça o que eu faço”? E as lideranças? Elas cumprem com o que prometem e seus times acreditas em sua palavra?

Se isso não acontece, é iminente o surgimento de um problema relacionado à credibilidade e à reputação, afinal quando as duas pontas não se conectam, os laços de confiança tendem a se romper. Então, lembre-se que o dizer e o fazer precisam andar juntos, sempre!

 

4- Comunicação Unilateral

As empresas que apenas querem informar seus colaboradores, sem dar espaço para ouvirem o que eles têm a dizer, precisam repensar urgentemente a forma de se comunicar. Hoje, sabemos que a cocriação aumenta o senso de pertencimento das pessoas. E quando isso acontece, elas acabam produzindo mais, se desenvolvendo e inovando.

É preciso ainda dar voz aos colaboradores em reuniões, eventos, rodas de conversa, canais internos, a exemplo de intranet e redes sociais corporativas. Comunicar vai muito além de apenas disseminar as informações que a empresa quer que seus colaboradores saibam. Implica em estabelecer um diálogo aberto e constante.

 

5- Deixar o Público Interno como “último a saber”

Sabe aquela sensação desagradável de ser o “último a saber das coisas”? É assim que os colaboradores se sentem quando fatos de grande relevância sobre a empresa onde trabalham lhes são contados por amigos ou pelo noticiário. Dá a impressão de que eles são menos importantes que os jornalistas ou que falta transparência na organização.

E se a companhia está passando por um momento de crise, é ainda pior, pois pode causar um clima de insegurança, já que ninguém sabe o que está por vir. E, justamente, para evitar rumores e informações equivocadas, a Comunicação Interna deve priorizar o time de empregados, mantendo-o a par de todas as decisões da companhia e que eventualmente podem impactar na vida deles. Isso fortalecerá os laços, uma vez que se sentirão respeitados e inclusos nos momentos cruciais da companhia.

 

6- Lideranças Excluídas

Os líderes são fundamentais para fazer a comunicação fluir em uma empresa. Quando as lideranças não se envolvem em uma determinada ação é muito provável que o engajamento dos colaboradores seja menor.

Nas fábricas, o papel deles é ainda mais importante, afinal são o canal principal entre a companhia e o pessoal da linha de produção. Além disso, eles são os ouvidos da equipe de operação e podem colher informações valiosas para o desenvolvimento de um plano de melhorias.

 

7- Excesso de Comunicados

Em uma empresa, as áreas têm sempre algo para comunicar. E, assim, as caixas de e-mail dos colaboradores ficam abarrotadas de comunicados. Muitos deles nem serão abertos, devido ao volume recebido. Por isso, é preciso pensar na efetividade da Comunicação.

Será que tudo precisa ser enviado por e-mail? Às vezes, um bate-papo de cinco minutos com a equipe, um post e um vídeo na rede social corporativa ou um podcast enviado por celular podem ter mais impacto e ganhar a atenção de quem os recebe. A dica é usar o bom senso e ter em mente que, em alguns casos, menos é mais.

 

8- Comunicação sem Segmentação

Informações gerais da empresa interessam a todos os colaboradores. Mas, uma notícia que se refere somente a um determinado cargo ou área específica não precisa ser compartilhada com a empresa inteira. E, para que a comunicação seja certeira, a dica é segmentar a comunicação por públicos e criar canais direcionados, a fim de que cada um só receba o que realmente lhe seja pertinente.

 

Dica Bônus! Fiquem próximos dos seus colaboradores 😉

 

Passados vários meses desde o início da quarentena no Brasil, a experiência bem sucedida do home office pode até se tornar definitiva para algumas empresas. Mas não sem antes responder a um relevante questionamento: como manter a proximidade entre as pessoas, agora que estão fisicamente distantes?

Separei um texto aqui do Blog da Trama que te ajuda a responder essa questão. Clique e conheça alguns pilares que favorecer a conexão entre a empresa e seus colaboradores. Depois volte aqui e me diga se gostou!

 

 

Sobre o autor

Comentários:
Fazer um comentário
Deixe um Comentário