Blog

Gerenciamento de Crise 03.11.2020

Qual a diferença entre Crises Corporativas e Crises de Comunicação?

Existem diferenças entre Crises Corporativas e Crises de Comunicação? Elas não são a mesma coisa? Não! Separei aqui inúmeras diferenças – não só entre os termos, mas também entre as atividades – para você começar a aplica-los corretamente no dia a dia da sua empresa.

 

Sei que você sabe que existem dezenas de boas práticas de gerenciamento de crises e que elas dão alento a você e aos executivos de sua empresa sempre que uma crise acontece. Elas ajudam você a conduzir as situações desagradáveis de maneira satisfatória e até mesmo de controlá-las corretamente. Como você sabe que elas vão acontecer de qualquer jeito, você se preocupa em estar sempre preparado para enfrentá-las a qualquer momento.

Você não acha que é muito cansativo ficar se preparando para enfrentar uma crise a toda hora? Esse ciclo constante pode deixar você muito experiente e até especialista em gerenciamento de crises, mas você sabe que esse processo apenas controla os efeitos danosos na imagem da empresa e os custos decorrentes dela.

 

Como você se sente quando a crise acontece?

 

Sente que está preparado e que resolveu mais um episódio desagradável, não é mesmo? O que eu posso garantir a você é que, além das boas práticas de gerenciamento de crises, já existem boas práticas de prevenção de crises, capazes de evitar que a maioria delas aconteça. E que esse processo vai reduzir as crises em mais de 50% e tirar você do ciclo vicioso de ficar gerenciando crises a toda hora.

A chave disso está apenas num detalhe: saber qual é a diferença entre crises corporativas e crises de comunicação. Vamos entender melhor, então?

 

O que é uma Crise Corporativa?

 

Uma crise corporativa é provocada por fatos concretos, acontecimentos reais, como: processos de mudanças, de transformação, de posicionamentos, atitudes, posturas, ocorrências, acontecimentos, fatos, incidentes, acidentes, desastres, que impactam o ambiente, as pessoas e os negócios da empresa.

Os exemplos disso são as explosões, as mortes, sabotagem, contaminações, roubos, desvios, espionagem, vazamento de informações, fraudes e incidentes que causam problemas na operação, na produção, no ambiente, no meio ambiente. Todos são fatos concretos que provocam impactos extremamente danosos na empresa, na operação e em seus negócios.

 

ebook-gestao-riscos-covid-19
Clique e saiba como proteger a sua empresa e atuar em cada fase do Ciclo de Calamidade Pública da crise de saúde pública global que estamos vivendo atualmente.

 

O que é uma Crise de Comunicação

 

Já as crises de comunicação são sempre consequência das crises corporativas. Nesse caso, você tem sempre duas crises, a do fato gerador (crise corporativa) e a da consequência (crise de comunicação). Ou seja, aqui está estabelecida uma relação. As crises de comunicação são sempre consequência de uma crise corporativa.

Então, se você evita uma crise corporativa, você não terá uma crise de comunicação. Simples assim. Aí você pode me dizer, mas e as crises na internet, nas redes sociais?

Pois é, elas são, da mesma forma, consequências de falas, posturas, atitudes, de posicionamentos, tudo sempre cometido por alguém, no off-line, ou seja, alguém ou alguma coisa que provocou uma crise online, que é a crise de comunicação, consequência da atitude corporativa.

Em resumo, as crises de comunicação online tem sempre uma causa off-line. Portanto, em todos os casos, as crises não existem sozinhas, elas são sempre consequência de um fato gerador e se você não cuida do fato gerador elas não podem ser evitadas.

 

Identificação dos Riscos

 

Nas crises corporativas você pode identificar os riscos antecipadamente e tratá-los antes que eles se transformem em crise de comunicação. Assim, se você cuida do fato gerador antecipadamente antes que ele se transforme em uma crise, você elimina a causa e evita a crise de comunicação.

É por isso que a afirmação: se você evitar as crises corporativas vai acabar com as crises de comunicação, é indiscutivelmente verdadeira.

Agora que você sabe a diferença entre uma crise e outra, que uma é causa e a outra é consequência, você pode fazer uma análise, nesse sentido, dentro da sua empresa e começar a administrar os riscos, fatos geradores de crises de comunicação.

 

Quer saber mais?

Então assista ao vídeo que gravei sobre esse tema! Ele está lá no Canal da Trama no Youtube e, com ele, você terá informações complementares ao artigo que, com certeza, vão te ajudar a aprender ainda mais! Dê um pulo lá e não esqueça de deixar seus comentários sobre a websérie.

 

 

Sobre o autor

Comentários:
Fazer um comentário
Deixe um Comentário