Blog

Bastidores da Trama 13.01.2017

Como será a comunicação interna em 2017

Qual a realidade da comunicação interna para o ano que acaba de nascer? Uma pesquisa realizada pela Social Base durante o mês de novembro de 2016, na qual foram ouvidas mais de 200 empresas dos mais variados portes de todo o País, acaba de nos trazer uma série de visões importantes que apontam os rumos empreendidos por gestores da área. A ideia é fracionar os indicadores do levantamento em alguns posts que você começará a ler a partir de agora.

Nesse primeiro, abordaremos quanto ao uso dos canais abaixo listados pelas empresas para o ano de 2017. Chama novamente a atenção o crescente interesse por meios digitais, como portais e redes sociais corporativas, intranet e (pasmém!) o famigerado e-mail, do qual muitas organizações, pequenas ou gigantescas, não querem abrir mão. Isso sem falar na comunicação face to face, feita, é claro, com boas políticas de engajamento.

Pensando nesse cenário, a Trama Comunicação desenvolveu parceria com profissionais de renome, cuja função é ajudar as lideranças das empresas, em todos os seus níveis, a se comunicarem melhor. São treinamentos e workshops que auxiliam gestores a fazer uso das mensagens-chave institucionais, devidamente alinhadas à cultura organizacional e aos objetivos estratégicos de negócios das empresas que atendemos.

Um dos treinamentos é o curso intitulado “Comunicação de Resultados”, ministrado pelo nosso consultor parceiro Rogério Godinho. Nele, conceitos sobre empatia, coerência, clareza, revisão, entre outros, são abordados em profundidade. Tudo para melhorar efetivamente a comunicação entre os líderes e suas equipes, principalmente a comunicação escrita, via e-mail, por exemplo. Em entrevista, Godinho explica como determinadas técnicas podem potencializar o desempenho não só da equipe em geral, mas também dos executivos mais experientes. Confira!

As empresas estão usando mal o e-mail?

Cada executivo pode se perguntar isso quando deixa de receber uma resposta ao que pediu. Ou quando recebe a resposta, mas ela vem errada. Ou incompleta. Isso acontece porque mesmo e-mails bem escritos podem desestimular uma resposta. Por ser fácil de usar, temos a tendência a achar que o e-mail prescinde de técnica. É como usar o fogão só para fazer macarrão instantâneo e achar que está bom. Tudo bem, você sai alimentado, mas depois de alguns anos sua saúde será prejudicada.

 

 

 

Quais são os erros mais comuns?

Quando se fala de melhorar o uso do e-mail, imediatamente se pensa em erros de Português. E isso também é um problema grave. Um erro grave pode prejudicar a imagem de quem escreve, a ponto de atrapalhar relações comerciais. Mas esses não são os únicos problemas. Uma mensagem sem erros ainda pode ser confusa. Nesse caso, há técnicas para se obter maior clareza. Agora, uma mensagem clara também pode desestimular uma resposta ou passar uma disposição errada, que vai prejudicar o relacionamento entre as partes. Então também há técnicas para se melhorar essas questões.

Como é possível melhorar o desempenho da equipe?

Depende muito do nível de cada redator. Alguns precisam tomar cuidado com o básico, o que significa estar atento ao erros mais comuns. Não se trata simplesmente de melhorar o português, de estudar gramática, mas de encontrar formas de evitar o erro crasso sem perder agilidade no trabalho. Outros poderiam se beneficiar de técnicas avançadas para construir mensagens que estimulem uma resposta imediata. Muitas empresas investem pesado na construção de uma marca e no desenvolvimento de canais de comunicação, mas ignoram que estão perdendo negócios por causa de algo tão básico. Quando os executivos descobrem essas técnicas, o modo de se comunicar muda completamente. Já tive sócios de empresas me dizendo que a vida deles mudou depois disso.

Que tal transformar a comunicação interna de sua empresa em algo efetivamente inovador e assertivo? Venha conversar conosco!

Sobre o autor

Comentários:
Fazer um comentário
Deixe um Comentário

Font Resize