Blog

Eventos 24.01.2014

Quando o anúncio é o fim e não o meio

Uma noite por ano, geralmente entre o final de janeiro e o início de fevereiro, os EUA param para acompanhar a final do campeonato de um de seus esportes mais tradicionais, o futebol americano.

O evento, chamado de Super Bowl, está na edição número 48 e compreende um fim de semana de muitas atrações para a cidade-sede (que muda a cada ano). Milhares de pessoas se deslocam pelo país para acompanhar seus times, enquanto grandes artistas são escalados para o show do intervalo e agências de todo o mundo queimam os neurônios para criar o inesperado.

Em meados dos anos 80, um certo Steve Jobs encomendou ao diretor de Blade Runner, Ridley Scott, um comercial que fosse além de tudo que já fora feito para TV. Assim surgiu o clássico anúncio do Macintosh 1984, exibido no Super Bowl daquele ano. Começou a mágica.

Hoje, um anúncio de cerca de 30 segundos custa cerca de US$ 4 milhões, mais de R$ 9 milhões. Para o evento de 2014 mais de 26 empresas confirmaram (e pagaram) suas cotas, geralmente esgotadas desde agosto do ano anterior.

Mas será que todo o anúncio no Super Bowl tem um bom retorno?

Um estudo de uma empresa de pesquisa norte-americana, Communicus, mostrou que apenas 1 entre cada 5 anúncios do evento de fato gera vendas para a empresa. Podemos questionar esse aspecto quando pensamos que alguns anúncios ajudam na fixação da marca para gerar uma venda futura.

Claro que nem todas as empresas podem disponibilizar tanto investimento para produção e veiculação da campanha no Super Bowl. Nesse momento, o fator criatividade pode aparecer. A cervejaria inglesa Newcastle Brown Ale’s inovou ao criar um teaser de um comercial do Super Bowl que seria inesquecível… caso eles tivessem dinheiro para fazê-lo. É uma aposta para não ficar de fora do buzz dessa época.

O jornal USA Today possui, desde 1989, um termômetro para eleger os melhores comerciais do ano, votados pelos telespectadores. A ideia deu certo e vem servindo de base para as agências e empresas terem uma ideia do que pode, ou não, fazer sucesso.

A chave de tudo é planejamento. Seja para criar um anúncio para o Super Bowl, assim como para enviar um simples e-mail marketing, ou então, criar um perfil em mídias sociais, desenvolver a comunicação interna etc. Sua empresa já planejou as ações para 2014?  Acesse nosso site e saiba mais o que podemos fazer por você! 

Sobre o autor

Comentários:
Fazer um comentário
Deixe um Comentário