Em um mundo bombardeado por informações, nos mais variados formatos, são inúmeros os esforços na busca por resultados efetivos para as marcas, a partir da elaboração da estratégia digital, desenvolvimento de pautas e produção de conteúdo.

Entretanto, quando o assunto é sucesso nos resultados do seu Marketing de Conteúdo, existe algo que está na base do “fazer Comunicação” e que nem sempre tem a devida atenção: apostar em boas fontes de informação.

Sob esta perspectiva, pode-se considerar tanto a procura por especialistas para entrevistas, quanto a busca por estudos, dados e links de referência. Estes são fatores determinantes não apenas para taxas de engajamento positivas, mas, também e, principalmente, para a credibilidade e reputação do conteúdo de seus clientes.

Mais do que foco no engajamento, um compromisso social

Outro aspecto fundamental neste contexto é a contribuição social dos social media e demais profissionais envolvidos na produção de conteúdo. Isso porque o combate às fake news (notícias falsas) está intrinsecamente relacionado às boas práticas de apuração.

Um levantamento internacional, realizado em 2020, com mais de 33 mil entrevistados em 28 países, traz uma amostra da amplitude destes impactos ao apontar que conteúdo produzido para canais de empresas estão em destaque em relação à mídia geral.

dos 1,1 mil cidadãos ouvidos no Brasil, 61% consideram as empresas fontes de informação mais confiáveis do que a imprensa (48%) e o Governo (39%).

O poder da autoridade nas escolhas do consumidor

No que diz respeito à conversão em vendas das empresas junto aos seus consumidores, a autoridade das marcas é um dos aspectos determinantes na avaliação de quem compra.

Estudo realizado pelo Google e pelo The Behavioural Architects, indica que a jornada do cliente até o gatilho de compra passa por pontos determinantes de avaliação de produtos, serviços e da marca em si, sendo um deles a autoridade.

Embora o levantamento – elaborado a partir de 31 mil simulações de compra com consumidores em 11 países – aborde o tópico “autoridade” considerando a busca por indicação de especialista ou selos de qualidade para a escolha de um produto, esta informação traz elementos importantes aos profissionais do Marketing de Conteúdo.

A visão de autoridade de uma marcar é, sem dúvida, construída a partir da forma como ela se posiciona e investe no conteúdo de seus canais de comunicação.

Alicerces para a presença digital

Um exemplo prático desta contribuição das fontes de qualidade é a experiência da Central de Informações São Paulo (CISP), cliente do Grupo Trama Reputale no Núcleo de Digital.

Provedora de soluções para análise de risco de crédito, a instituição quis ir além das postagens no LinkedIn e no Instagram, apostando em conteúdo para o blog “Intercâmbio” e o podcast “Papo Mais+”.

Mais do que presença em múltiplos canais, o critério foi justamente a oferta de conteúdo de qualidade para gestores e colaboradores das mais de 190 empresas associadas – que são grandes corporações de diferentes segmentos de mercado, cujo faturamento consolidado representa 8% do PIB Nacional – e para a sociedade no geral.

Em episódio recente do podcast, a CISP abordou o mês do orgulho LGBTQIA+ e o combate ao preconceito e à intolerância nas instituições, tendo como entrevistado o Diretor de Engajamento e Comunicação com Empregados do Grupo Trama Reputale, Adriano Zanni.

 

Para a abordagem de temáticas que estão no centro de grandes diálogos da atualidade – como diversidade humana, comportamento, impactos dos avanços tecnológicos nas dinâmicas sociais e desenvolvimento profissional –, o foco nas fontes de referência é uma premissa.

“Observamos a importância de contribuir para que as nossas associadas tenham acesso a fontes de informação diversas e de credibilidade”, comenta a Ana Dini, relações externas da CISP, dá voz ao podcast e conduz as entrevistas junto aos especialistas convidados.

ana-dini-cisp

Ana Dini, relações externas da CISP.

Confiança para a valorização da marca

Mais um exemplo do benefício das fontes de qualidade na produção de conteúdo digital: a Tate & Lyle, que atua globalmente na formulação de ingredientes saudáveis para a indústria alimentícia – e também cliente do Grupo Trama Reputale nos Núcleos de Digital e RP, contou com dados de pesquisas próprias e de relatórios externos para produzir conteúdo em formato e-book e em vídeo.

https://youtu.be/355Rvn3QHVU

Motion graphic da Tate & Lyle Brasil traz citações de referência em rodapé alinhadas à linguagem digital.

 

Para reforçar sua autoridade, a marca foi além, aliando estratégia e recursos de criação a informações bem fundamentadas ao falar de seus produtos. Assim, enfatizou a importância do que ela faz para a saúde dos consumidores e para a redução de impactos negativos ao meio ambiente.

[CHECKLIST] O que considerar nas apurações para produzir conteúdo

– Em sua agenda, não negligencie a etapa de pesquisa. Reserve e valorize horas de trabalho especificamente para isto no seu cronograma;

– Nas buscas na internet, avalie criteriosamente a credibilidade da informação e em que estão embasadas. Nem sempre o que está em destaque é confiável. Isso vale para produções jornalísticas, pesquisas, estudos e artigos científicos e outras produções acadêmicas;

– Quando mencionar informações, utilize links que remetam à fonte das informações. Além de contribuir para a credibilidade do conteúdo, é uma boa prática no contexto de SEO que colabora para o aumento dos acessos orgânicos;

– Para entrevistas, consulte todos os perfis em redes sociais, sites ou blogs mantidos pelo especialista, com o objetivo de avaliar a coerência da linha de trabalho e na reputação;

– Na citação de entrevistados, lembre-se de contextualizar informações-chave da linha de trabalho do profissional para evidenciar porque as considerações desta fonte têm valor.