Quer estabelecer uma parceria com Influenciadores Digitais, mas tem dúvidas de quais perfis podem potencializar suas ações? Confira nosso guia completo sobre como analisar os creators para ter sucesso na sua campanha ou publipost.

 

O Marketing de Influência já não é uma novidade no mundo corporativo. Grandes marcas têm conseguido divulgar seus produtos e serviços por meio do relacionamento com influenciadores digitais. Porém, é preciso entender que o grande motor dessa estratégia não é uma categoria homogênea.

Com um universo grande de influencers, você deve se atentar a essas variações para desenvolver ações que se alinhem, ao mesmo tempo, aos objetivos da empresa e ao perfil do influenciador.

 

Tipos de Influenciadores Digitais de acordo com o conteúdo

 

Celebridades

Podemos dividir em dois tipos de pessoas: as que cresceram na internet, como a Viih Tube, YouTuber que atualmente está no Big Brother Brasil (BBB); ou artistas que ganharam fama primeiro na TV, na música, no esporte, entre outros. Eles contam com uma grande audiência, independente do conteúdo que entregam. A grande jogada aqui é tornar sua marca ou produto parte da rotina desse influenciador. Afinal, os seguidores deles querem ver o dia a dia e a vida pessoal dessas celebridades.

 

Autoridade

Esses influenciadores têm domínio sobre determinado tema e usam isso para criar o conteúdo das suas redes sociais. Como eles têm muito conhecimento sobre o assunto que abordam, os seguidores tendem a confiar mais nas suas opiniões. Um exemplo clássico que podemos dar nesse tópico é o Dr. Drauzio Varella.

 

Trendsetter

Conhecido por liderar causas e debates, esse influenciador sempre defende algum ponto de vista, além de propor uma atitude de mudança e reflexão em relação a determinado tema. A diferença entre ele e o “autoridade” é a parceria. Ele só estabelece vínculos com marcas que possuem valores iguais aos seus. Portanto, são ótimas opções para ações institucionais, nas quais as empresas querem reforçar ou destacar seu posicionamento. Outro ponto importante nesse sentido é o respeito que eles têm perante o público. A influenciadora Jout Jout é um exemplo nesse perfil.

 

Influenciadores Locais

São aqueles que falam com um público de um local específico. Apesar de o alcance ter uma limitação regional, seus seguidores confiam em suas indicações. É o caso de Giovanna Ramires e Jennifer Kevellyn (@euamoabc), que trazem conteúdos focados no ABC Paulista. Se você já tem um negócio em determinada cidade ou vai abrir uma franquia/empresa, por exemplo, é uma ótima opção.

 

Ecossistema

Grupos de influenciadores de determinado nicho, que possuem mais relevância quando estão reunidos na mesma ação. Se você quer dar destaque a um produto ou tema, vale a pena reunir pequenos influencers que abordam esse assunto em questão. Por exemplo, creators que falam de hambúrgueres, confeitaria, costura ou limpeza. Juntos, eles trazem mais engajamento e visibilidade para sua campanha. Apesar da baixa audiência, a relevância é alta.

 

Classificação de Influenciadores Digitais de acordo com o número de seguidores

 

Nano Influenciadores

 

Quem são? Apesar de não atingirem um número grande de pessoas, o engajamento é alto, pois falam com um determinado nicho. Com isso, possuem mais propriedade ao falar dos assuntos que abordam e são mais naturais ao conversar com os seguidores. Outro ponto positivo é o valor de investimento para um publipost ou uma campanha, que costuma ser menor.

Quando usar? Em uma estratégia de campanha que reúna um grupo de vários influenciadores a fim de obter um alcance maior de audiência. Vale ainda usá-los caso você trabalhe com produtos e serviços muito específicos, além de marcas que sejam voltadas a um público segmentado.

Exemplo: o resenhista de perfumes Fragranti, que possui 4.450 inscritos em seu canal no Youtube e pouco mais de 1.100 seguidores no Instagram, canais onde ele fala somente sobre perfumes.

 

Micro Influenciadores?

 

Quem são? Bem relacionados com seu público, esses influenciadores reúnem uma audiência muito interessada em seus conteúdos. Buscam monetizar seu trabalho sempre e a contratação é mais cara em relação aos nano influenciadores.

 Quando usar? A proposta é parecida com a anterior, mas com maior audiência. São indicados para marcas que buscam mais engajamento junto ao seu público-alvo, além da captação de potenciais consumidores. Uma pesquisa realizada pela Expercity apontou que esse tipo de criador de conteúdo apresenta uma conversão 22,2 vezes maior em relação aos influenciadores macros.

Exemplo: Samanta Luz foi uma das influenciadoras escolhidas para a campanha Do Seu Forno, da Wickbold. Como cozinheira e vegana, a influenciadora atinge dois grandes públicos da marca. Veja aqui.

 

 

classificacao-influenciadores-digitais

 

 

Intermediários

 

Quem são? Como o próprio nome sugere, ficam entre os menores e os maiores em termos de números de seguidores. Conseguem atingir um número bem maior de pessoas, com uma boa taxa de engajamento.

Quando usar? Se o objetivo é divulgar algo para um público-alvo que envolve muitas pessoas, eles são ideais. Eles conseguem mesclar profissionalismo, confiabilidade e altos números de visualizações.

Exemplo: Ainda sobre a campanha Do Seu Forno, da Wickbold, vale citar dois perfis: Li Martins, apresentadora da Record, mãe que curte alimentação saudável e ex-Rouge; e Angela Munhoz, vegetariana e fitness. Ambas atingem o público-alvo da marca.

 

Macro Influenciadores

 

Quem são? Costumam abordar alguns temas específicos, mas que interessam a uma quantidade grande de pessoas, como beleza, gastronomia, lifestyle, viagens, humor e saúde. Os assuntos costumam ter sinergia entre si, o que atrai um público diverso, mas com interesses em comum.

Quando usar? Para fazer uma divulgação massiva, que atinja muitas pessoas de uma só vez. O conteúdo produzido por esses influenciadores tem um forte potencial de ampliar a exposição de uma marca e, com isso, aumentar a repercussão dela.

 Exemplo: A ex-rouge Aline Wirley foi a influencer escolhida pela Seven Boys para uma ação de Dia dos Pais. A influencer é uma mãe preocupada com a qualidade de vida do seu filho, ressalta a importância de viver em meio a natureza e faz sucesso com os cliques em família. Tudo isso está alinhado aos principais valores da marca.

 

Mega Influenciadores

 

Quem são? Perfis usados para divulgações em larga escala. Mas, ao mesmo tempo em que passam informações para uma enorme quantidade de pessoas, o engajamento tende a ser menor e os valores de contratação mais altos. Por isso, devem ser escolhidos com cautela. É importante ter a ajuda de uma agência como a Trama nesse processo.

Quando usar? Produtos ou serviços novos, que precisam ficar conhecidos por muitas pessoas. Também são interessantes para divulgar grandes eventos, promoções e produtos fáceis de achar (disponíveis para compra em muitos pontos de venda, por exemplo).

Exemplo: a influencer Taciele Alcolea, que produz diversos conteúdos focados em maternidade, foi a escolhida da Seven Boys para a campanha do lançamento da linha Adoleta. Já Ana Hickmann divulgou os novos Limpadores Perfumados da marca Limpol (Bombril). A apresentadora está todos os dias no matinal Hoje em Dia e fala com donas de casa diretamente, além disso, a sua sala – toda branca, cenário do post – ficou famosa nas redes sociais.

 

case-arcor-influenciadores-digitaiscase-influenciadores-digitais-arcor