Blog

igualdade-racial-topo_blog
Comunicação Interna 19.11.2019

Como promover a igualdade racial na sua empresa: 3 dicas de quem entende do assunto

A gente já sabe que incentivar a diversidade racial nas empresas influencia diretamente no engajamento dos colaboradores e na qualidade dos projetos, não é mesmo? Mas como dar o pontapé inicial para tirar essa ideia do papel? Para responder a essa pergunta, conversamos com a Suzane Jardim, especialista nessa área, e separamos 3 super dicas para você (re)pensar o seu planejamento de 2020.

 

De acordo com o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a maior parte da população do país (55,8%) se declara negra ou parda.

Apesar de tamanha representatividade, isso não reflete necessariamente a realidade de muitas organizações privadas. Quando olhamos para cargos de gestão ou liderança, a disparidade fica ainda mais evidente. Veja o quadro a seguir:

 

pesquisa-ethos-igualdade-racial

Diante desse cenário, ações de promoção da igualdade racial devem ser levadas a sério pelas empresas, de forma muito inclusiva e estratégica.

E quem não seguir esse caminho, corre o risco de perder relevância entre consumidores, colaboradores e outros stakeholders, além de desperdiçar a possibilidade de contar com um quadro de profissionais mais plural, e, por isso mesmo, mais inclinado à criatividade e à inovação.

 

Política de Igualdade Racial nas Empresas

Mas qual é o caminho a ser seguido por uma organização que deseja promover a igualdade racial?  É muito provável que a primeira resposta que tenha vindo a sua mente seja “a área de Recursos Humanos”.

A verdade é que igualdade racial deve envolver pessoas de diferentes setores, com ênfase para a média e alta lideranças, que podem atuar como facilitadores e proporcionar a sensibilização dos demais profissionais sobre o tema, assim como disseminar princípios de respeito às diferenças.

Também é importante contar com a figura de um sponsor entre a gestão, que terá a função de defender a diversidade como prioridade da companhia.

Além disso, é preciso pensar o assunto não só agora no mês da Consciência Negra, mas sim, durante todo o ano, em todos os processos, de todas as áreas, visando a construção e o fortalecimento de uma política interna de representatividade racial.

 

igualdade-racial

 

E agora? Vamos tirar esse tema do papel?

Conversei sobre esse assunto com a Suzane Jardim, historiadora, educadora e pesquisadora da USP nas áreas de ciências sociais, história negra e criminologia e ela separou três dicas super valiosas para você dar o pontapé inicial nessa discussão aí na sua empresa:

 

  1. Torne o ambiente acolhedor

O primeiro passo para promover a igualdade racial em sua empresa é tornar o ambiente acolhedor para novos colaboradores, assim como para os que já fazem parte do time. De nada adianta estabelecer metas e políticas de contratação que privilegiem a diversidade racial, se cada setor não estiver pronto para recebê-los bem.

Por isso, tratar a conscientização sobre o tema é uma prioridade. A realização de campanhas de comunicação interna sobre respeito às diferenças, empatia e inclusão pode contribuir para a redução de possíveis conflitos e uma maior integração entre as pessoas que formam a empresa.

 

  1. Conheça sua equipe

 Você é capaz de responder com facilidade quantos colaboradores negros trabalham na companhia, há quanto tempo eles estão nela e em quais áreas atuam?

A realização de uma pesquisa para autodeclaração de raça permite o diagnóstico do cenário atual, o estabelecimento de metas concretas para avanço da igualdade racial e a mudança da cultura da empresa.

Com os dados sobre o número de funcionários negros, já é possível definir metas de contratação, retenção e desenvolvimento profissional. Também permite a definição de tópicos que podem ser abordados em ações de endomarketing dentro da organização.

 

  1. Forme grupos de apoio

Estabeleça grupos de apoio formados por funcionários de diferentes áreas e níveis hierárquicos. Procure contar com o maior número possível de integrantes que representem o perfil racial brasileiro.

O papel dessas pessoas será o de se dedicar ao assunto ao longo do ano, definir ações para sensibilizar os demais quanto à igualdade racial e acompanhá-las. Isso é representatividade.

 

Corre pro Youtube 🙂

Quer saber ainda mais sobre esse tema? Então dê um pulo no canal da Trama no Youtube e assista à entrevista que fiz com a Suzane Jardim. Além das dicas que já falamos, ela traz vários outros insights que, com certeza, vão te ajudar a (re)pensar seu planejamento para 2020.

 

Sobre o autor

Comentários:
Fazer um comentário
  1. Avatar
    Sérgio Moreira

    Estive no bate papo com a Suzane Jardim e achei incrível! É evidente que o assunto demandaria muito mais tempo para informações e debates, que é justamente o que pretendemos fazer. independente disso, o bate papo foi muito rico porque nos trouxe informações concretas do ponto de vista histórico que, em regra não são de conhecimento da maioria das pessoas e, evidentemente não são difundidas e discutidas por absoluta falta de interesse. É isso que precisa ser mudado. Vamos lutar para que essa representatividade seja real e absoluta, não permanecendo apenas nos discursos.

    Responder
Deixe um Comentário

Font Resize