Blog

Bastidores da Trama 30.09.2010

Inovar ou inovar? Eis a questão

Houve um tempo em que a inovação era vista como uma ferramenta estratégica, por meio da qual as empresas ganhariam vantagem competitiva. Com o passar dos anos, a inovação foi ganhando um novo vulto, uma dimensão outra que a elevou ao status de prioridade e sem a qual as economias mundiais dificilmente conseguiriam se desenvolver. Em um momento em que a pergunta já não é mais “é necessário inovar”, mas sim “como vamos inovar”, o debate sobre o tema parece oportuno como nunca.

Em meio a esse cenário, foi realizado na semana passada, de 20 a 24 de setembro, um dos mais importantes eventos do movimento de empreendedorismo inovador, o XX Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas e XVIII Workshop Anprotec. E a Trama, que há 10 anos mantém um núcleo especializado de inovação, foi responsável pela assessoria e produção de conteúdo sobre as ações.

O Seminário levou a Campo Grande gestores de políticas públicas, gestores de parques tecnológicos e de incubadoras, reitores de universidades, empresários, e interessados em geral. Para se ter uma ideia da magnitude do XX Seminário, 670 pessoas participaram das mais de 30 atividades realizadas ao longo da semana.

Além de acompanhar as palestras, debates, workshops e posters, tive a oportunidade de mergulhar nas ações regionais. Dentre elas, se destaca a visita à Incubadora de Empresas Zé Pereira, umas das quatro Incubadoras Municipais de Campo Grande e que abriga seis empresas em estágio de incubação ou pré-incubação, marcada pela troca de experiências com os empreendedores.

Sonhos, muitos sonhos e coragem de lutar por eles. Fiquei encantada com a vontade de crescer de Lucimar Maldonado, a artesã que lidera o projeto da empresa incubada Fibra Morena. Trabalhando com fibras naturais desde 2005, a artesã entrou como pré-incubada em 2008 para começar a desenvolver produtos como assessórios femininos, jogos de jantar, jogos americanos, entre outros.

Lucimar investe quase todo o dinheiro que recebe, dos atuais R$1.200,00 reais mensais, em melhorias para o projeto. Assim como ela, a gerente da Incubadora Zé Pereira, Neila Lopes, também se dedica a expandir os negócios, que rendem cerca de R$ 140.000 por ano.

Interessante como a inovação, tão presente em empresas de base tecnológica, como no caso do Cietec, também permeia a realidade de empresas com características peculiares, como as que visitei em Mato Grosso do Sul. Pelo visto, os jornalistas também se impressionaram com os projetos locais e com o evento, como um todo.

Thiago Cid, da Pequenas Empresas Grandes Negócios, e Bruna Borges, da Folha de S. Paulo, foram com exclusividade aos XX Seminário. Em âmbito regional, 13 jornalistas visitaram o Centro de Convenções para acompanhar os principais temas abordados. Destaque para a cobertura realizada em parceria com a Agência Sebrae.

São mais de 100 matérias relacionadas à última edição do Seminário. Quem tiver interesse pode acompanhar um pouco da cobertura no site da Trama.

Sobre o autor

Comentários:
Fazer um comentário
Deixe um Comentário