Sala de Imprensa

SBED - Sociedade Brasileira de Estudo da Dor

Esta é a sala de imprensa da SBED – Sociedade Brasileira de Estudo da Dor. Aqui você encontra press releases sobre as novidades da marca, além dos principais resultados em veículos de comunicação e canais de influenciadores conquistados pela equipe de assessoria de imprensa da Trama Comunicação.

Ver perfil

A Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor – SBED é uma associação multidisciplinar, com vários profissionais que lidam com a dor em suas diferentes esferas. A SBED foi fundada por um grupo de médicos que participou do 1º Simpósio Brasileiro de Tratamento da Dor, em São Paulo, em 1982. Em 1984, durante o Congresso Mundial da Dor, que aconteceu em Seattle, nos Estados Unidos, a SBED foi reconhecida como Capítulo Brasileiro (IASP Brazilian Chapter) da Sociedade Internacional para o Estudo da Dor – International Association for the Study of Pain- IASP. A SBED é responsável pelo evento CBDOR – Congresso Brasileiro da Dor, que neste ano acontecerá de 12 a 15 de setembro, em Natal (RN).

Dor nas costas é o principal motivo de afastamento do trabalho no Brasil

As dores muitas vezes não possuem causa específica e podem trazer prejuízos sociais e econômicos

Em 2017, a lombalgia – popularmente chamada de dor nas costas – foi a doença que mais afastou brasileiros do trabalho. De acordo com o INSS, foram 83,8 mil casos no ano. É estimado que entre 65% e 90% da população mundial sofrerá pelo menos um episódio dessa dor que gera impactos pessoais, ocupacionais, sociais e econômicos.

Quando a doença se torna crônica, os impactos são ainda maiores. Só nos Estados Unidos, segundo recente artigo publicado no livro Tratado da Dor, a estimativa é que a lombalgia crônica tenha um custo anual estimado de US$ 635 bilhões, incluindo despesas médicas diretas e perda de trabalho e produtividade.

Para o coordenador do Comitê de Dor e Medicina do Trabalho da SBED – Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor, Dr. Marcos de Toledo, embora alguns pacientes com lombalgia tenham as causas identificadas para suas dores, muitas vezes não há associação clara entre dor e doenças identificáveis da coluna vertebral.

“Foca-se ainda muito no resultado anatômico do problema e, nisso, temos um grande desafio. Quando o paciente busca o médico do trabalho, normalmente a comprovação padrão da doença que o impede de trabalhar são os exames de imagem” comenta o médico. “Acontece que a dor pode ser mais complexa e com origem inespecífica. Por isso faz-se necessário um olhar multifatorial dos especialistas, que deverão produzir um relatório médico detalhado, para que o funcionário possa pleitear seus benefícios, se for o caso” explica.

Fatores complicadores
As dores nas costas podem estar relacionadas à diversos fatores, como envelhecimento natural, estresse, sobrepeso e tabagismo. A dor por si só pode ser também um sintoma, seja de problemas ginecológicos, renais ou de outras patologias relacionadas à dores crônicas, como osteoporose e fibromialgia.

Além dos inúmeros fatores biológicos, existe a lombalgia ocupacional, em que o prejuízo atrelado às profissões podem acelerar ou causar a dor. Uso excessivo de computadores no trabalho, ofícios que envolvem carregamento de carga e longas jornadas de trabalho são fatores agravantes.

A importância de falar sobre dor no ambiente de trabalho

Para Dr. Toledo, não há nada pior para o paciente com dor crônica que afastá-lo do convívio social. Por isso, em muitos casos, ao invés do afastamento, é indicada a reabilitação profissional do paciente, caso ele tenha condições de ser reinserido no ambiente de trabalho.

A reabilitação profissional é hoje uma atribuição do INSS, mas o médico acredita que cabe também ao empregador assisti-lo nesse período. “Essa reabilitação é importante, e falar sobre isso no ambiente de trabalho pode trazer mais confiança no relacionamento entre o funcionário e seu gestor, principalmente porque, muitas vezes, o funcionário retoma em outras funções laborais” comenta o médico.

“Em todos os casos, é fundamental a relação entre o paciente e seu médico, pois existem uma série de medidas, inclusive preventivas, que podem auxiliar tanto o trabalhador quanto empregadores e poder público” conclui Dr. Toledo.

Sobre a SBED – Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor
A Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor – SBED foi fundada por iniciativa de um grupo de médicos que participou do 1º Simpósio Brasileiro de Tratamento da Dor, realizado em São Paulo, em 1982. Em agosto de 1984, durante o Congresso Mundial da Dor, que aconteceu em Seattle, nos Estados Unidos, a SBED foi reconhecida como Capítulo Brasileiro (IASP Brazilian Chapter) da Sociedade Internacional para o Estudo da Dor – International Association for the Study of Pain- IASP.

Sobre a empresa

Empresa: SBED - Sociedade Brasileira de Estudo da Dor

Site: www.sbed.org.br

https://www.facebook.com/sbed.dor/

Fale Conosco

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.