Sala de Imprensa

Kearney

Esta é a sala de imprensa da Kearney. Aqui você encontra press releases sobre as novidades da marca, além dos principais resultados em veículos de comunicação e canais de influenciadores conquistados pela equipe de assessoria de imprensa da Trama Comunicação.

Ver perfil

A Kearney é uma das maiores consultorias globais de gestão estratégica. Com presença em mais de 40 países, nossas pessoas nos fazem quem somos. Somos indivíduos que se divertem tanto com aqueles com quem trabalhamos quanto com o trabalho que realizamos em si. Sob a proposta de sermos a diferença entre uma grande ideia e faze-la acontecer, nós ajudamos nossos clientes a alcançarem o sucesso.

Kearney-Mark Essle

Coronavirus exige revisão das cadeias globais de suprimentos

Mark Essle*

O Coronavírus está impactando as cadeias globais de valor, essenciais para o crescimento econômico; para evitar riscos, as empresas estão fazendo ajustes ao seu modelo de suprimentos.

Kearney-Mark Essle

Além de todo o impacto na saúde e bem estar das pessoas, está claro que o surto do Coronavírus (COVID-19) vem impactando a produção e as cadeias globais de valor, com consequências para as empresas, consumidores e a economia global. Muitos CEOs estão buscando respostas para perguntas urgentes, como de que forma proteger colaboradores, garantir a segurança do fornecimento, mitigar impactos financeiros, controlar riscos à imagem do negócio e navegar as incertezas do mercado, que tem derrubado a demanda.

Tradicionalmente, as cadeias globais de valor, mecanismos essenciais para o desenvolvimento econômico e o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto), foram desenvolvidas para a competição baseada em custos. Mesmo antes do advento do Coronavírus, a Guerra comercial da China-EUA, os embargos da Rússia, Irã, Coreia do Norte e inclusive outros eventos climáticos e pandemias nos lembram do risco desta estratégia de fonte única e menor custo. A pergunta é: os riscos já estão excedendo os menores custos?

O novo vírus já tem efeitos significativos nos mercados globais. O medo do surto afetou desde o preço global do petróleo à medida que as refinarias chinesas diminuíram a produção antevendo a redução da demanda doméstica até as cadeias longas da indústria automobilística global. Essa desaceleração já tornou ainda mais obscuras as perspectiva para os fornecedores. Estimativas conservadoras da Reuters preveem que o crescimento econômico da China deva cair para 4,5% no primeiro trimestre de 2020 – esse é o menor índice desde a crise financeira de 2008, e pode custar uma perda de receita de US$ 1,1 trilhão à economia global. Os efeitos no Oriente Médio e na Europa estão só começando.

Apesar das experiências do passado, do ponto de vista de cadeia de valor, as disrupções associadas a crises do passado, como o surto da SARS em 2003 ou o desastre nuclear de Fukushima, em 2011, não podem servir de modelo para decisões agora. Isso porque as economias globais hoje estão muito mais integradas, e as cadeias de valor de 2020 são globais e mais complexas do que eram em 2003 ou 2011.
Como consequência, fabricantes já se veem forçados a interromper ou postergar sua produção.

E o que muitos perguntam é como as empresas devem responder e se preparar para os impactos no fornecimento no longo prazo? A Kearney produziu em conjunto com o Fórum Econômico Mundial, um documento no qual traz sugestões para que as empresas minimizem os riscos em sua cadeia de suprimentos.

O documento indica que, no contexto da crise gerada pela disseminação do Coronavírus, os líderes precisam rapidamente tornarem suas empresas mais resilientes. Primeiro devem considerar reconfigurações à cadeia de suprimentos para se protegerem dos riscos. Essas ações incluem, por exemplo, ter maior visibilidade sobre toda a cadeia, incluindo fornecedores primários, secundários e até terciários. É preciso saber quem produz as partes críticas, quais as fontes alternativas e qual a situação do inventário desses fornecedores. Contar com dois fornecedores de regiões diferentes para partes críticas da cadeia ou aumentar o nível de estoque em diversos locais da cadeia podem ajudar a se proteger contra vulnerabilidades.

Outra vertente é avaliar opções geograficamente próximas para encurtar as cadeias de suprimentos e aumentar a proximidade com clientes e fornecedores. E, finalmente, ampliar o uso de tecnologias 4.0 de manufatura flexível e estabelecer planos de emergência para uma logística alternativa que possam ser rapidamente implementados.

O impacto final desta crise ainda é incerto, mas ao que tudo indica, ela será disruptiva para o modelo de cadeia global integrada “just-in-time”. O que sabemos de fato agora é que a mitigação do impacto do COVID-19 em escala global é algo demasiado complexo e urgente para que qualquer organização tente agir sozinha. Governos, reguladores e iniciativa privada precisam cooperar para estabelecer as melhores práticas e catalisar uma solução conjunta.

*Mark Essle é sócio da consultoria global de gestão estratégica Kearney.

A Kearney é uma consultoria global líder em gestão de negócios, com 91 anos de operação e atuação em mais de 40 países. É uma empresa dirigida por seus sócios, comprometidos em ajudar os clientes e gerar impactos imediatos, aumentando as vantagens competitivas em seus desafios mais críticos. O foco da consultoria é atuar como parceira estratégica dos clientes na obtenção de benefícios reais em projetos de curto e longo prazos. Os diferenciais da Kearney são ampla escala global, diversidade de recursos e excelência em todos os processos. A Kearney possui uma cultura distinta que transcende as fronteiras organizacionais e geográficas. Não importa qual a localização ou posição, todos os consultores da Kearney são visionários, acessíveis e apaixonados por projetos inovadores.

Sobre a empresa

Empresa: Kearney

Site: https://www.kearney.com

Atendimento à imprensa

Atendimento: Fernanda Angelo
E-mail: fernanda@tramaweb.com.br
Telefone: (11) 3388-3040

 

Fale Conosco

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.
Font Resize